domingo, 14 de fevereiro de 2010

Sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Nosso vôo (meu e do Ti) saía bem cedinho das nossas respectivas cidades. E deveríamos chegar por volta da hora do almoço em Roma para conseguirmos aproveitar muito a sexta. Infelizmente estava tendo uma tempestade de neve (como minha mãe sempre diz: gente chique é outra coisa né). O meu vôo deveria pousar as 11h45, acabou pousando só as 12h30, pois estávamos esperando a pista estar seguro para poder (uia, que medinho!).

Quando desembarquei e, pra variar, não vi o Tiago me esperando (ele deveria chegar algum tempinho antes), já fui correndo dar uma olhadinha na tela de chegadas, e pra variar mais uma vez, aconteceu uma coisa inédita, o vôo dele tinha sido transferido pra OUTRO aeroporto! Hahahahaha.., só rindo mesmo. Fui até o balcão de informação (que estava um vuco-vuco de gente, pois 2 vôos tinham sido cancelados) pra ver se os passageiros seriam levados até lá (o que é o normal de se fazer) ou se seria cada um por si. E o que esperar das cias low cost – low fare que se não, TVN! Te vira negão! (fomos de Ryanair)

O aeroporto de Ciampino é bem precário, ele só opera vôos nacionais e cias LC-LF, então imagina o nível! Tinha UMA cabininha de internet no saguão todo e tinha uma fila gigantesca! Não dava pra ficar ali esperando a vida passar, então pensei, se o aeroporto (que seria o primeiro ponto de encontro) não deu certo, o próximo ponto é o hostel! Fui pro hostel.

Chegando lá, nada do Tiago! Entrei na internet e ele havia me mandado um e-mail dizendo que estava vindo para a estação Termini (que foi a mesma estação que eu cheguei e que era do ladinho do hostel) e que depois iria me encontrar no aeroporto! Ain Jesus cristinho... começaram as minhas rezas para que o Ti quando chegasse em Termini tivesse a boa idéia de checar o e-mail dele com a minha resposta de VEM PRO HOSTEL antes de pegar a navette pro outro aeroporto! E não é que foi isso mesmo que ele fez? Encontramos-nos depois de 1/2h que eu havia chego!

Bora sair pra passear!!! Resolvemos fazer tudo a pé e se mais tarde víssemos que iríamos precisar comprar o Open-transporte de Roma, compraríamos. Mas não precisou. Roma é muito pequena, fizemos tudo a pé (ou quase tudo). Resolvemos descer pela Avenida XX Settembre, onde passamos pela Piazza Quattro Fontane, que é uma esquina com 4 fontes, uma em cada esquina do cruzamento. Depois chegamos até a Piazza Quirinale e ao prédio Quirinale (também), que é a sede oficial da presidência italiana.

Continuamos caminhando e chegamos à famosa Fontana de Trevi, onde você deve jogar uma moeda de costas na Fontana e desejar voltar para Roma! Muito linda a Fontana, tanto de dia como de noite! Descendo rumo ao Coliseu, passamos pelo Monumento a Vittorio Emanuele II , que situado na Piazza Venezia, homenageia o primeiro rei italiano.

Em direção ao Coliseu (já o vendo ao fundo) passamos pelo Palatino, que ruínas de onde Roma foi fundada em 753ac e claro, o Coliseu! Lindo, majestoso, símbolo do império romano, era cenário da política do pão e circo abrigando até 50 mil pessoas. Era utilizado para uma série de espetáculos, entre eles as lutas de gladiadores e também aqueles famosos massacres de cristãos lutando contra leões. Infelizmente não conseguimos entrar no Coliseu devido a neve e o atraso dos vôos, quando conseguimos chegar até ele, já estava fechado... =(

Saímos do Coliseu e passamos pelo Arco di Constantino, rumo ao Circo Massimo, arena usada para entretenimento e abrigava 385 mil pessoas e as também conhecidas corridas de bigas (carro de duas rodas, puxado por 2 cavalos – é só pensar no símbolo do romano).
Como já estava escuro e já tínhamos batido muita perna, resolvemos ir em Trastevere, que é um bairro cheinho de cantinas italianas para jantarmos e bebermos um bom vinho! Escolhemos uma cantina indicada por um italiano, dono de uma loja. O atendimento péssimo, a comida e o vinho maravilhosos. Tivemos que engolir seco.

Pedimos uma entrada de brusquetta, que nada mais era do que uma fatia de pão italiano bem durinho, com azeite de oliva, tomates fresquíssimos e folhas de rúculo (não amarga) + primeiro prato, um spaguetti, o meu com bacon e um molhinho de ovos muito suave, e o do Tiago com um molho de tomate MESMO e bacon também! Segundo prato veio dois tipos de presunto, um eu tinha certeza que era o de Parma o outro eu não consegui descobrir, mas parecia muito com um filé de peito de frango, só que com gostinho de presunto. De sobremesa veio um pudim italiano, sensacional, que parecia um chandelle de baunilha, com calda de chocolate e açúcar em cima, que eu nem sei explicar o quanto aquilo foi bom! Fora o vinho, que era da casa, e estava semi-seco, do jeitinho que eu gosto. E o melhor de tudo: 26€ para os dois!

Tínhamos a noção de que estávamos muito longe do hostel e de que havíamos bebido vinho demais, caminhado demais e estávamos cansados demais (além de já ser 10h da noite) e tentamos pegar um ônibus até o Termini para chegarmos um pouquinho mais perto de casa. Parlando moilto italiano (*detalhe q eu não sei NADICA de italino, quanto mais escrever! A única coisa que eu fazia era falar Ciao, Buongiorno e Quanto costa – o que é muito importante! Ah claro, e balançar a mão pra falar, mas isso já tá no sangue) Voltando, falando um poquinho de italino aportuguesado, conseguimos pegar uma informação de que deveríamos pegar um trenzinho e depois um ônibus para subir até o Termini. Detalhe, nós tínhamos que entrar no trezinho, jogar um moedinha e pegar um ticket que valeria pra utilizar o transporte por 75 min. Ou seja, nós éramos 1 casal de namorados = 1 real... hahahaha. Acho q foi o vinho!

Buonasera!!!!

2 comentários:

Gabitus disse...

Chuchuzinha,

esse pudim (que parece chandele de baunilha) que vocês comeram chama Panna Cotta!! É a melhor sobremesa do mundo, na minha opinião!!! Vou para a Itália só para comê-la!! Hahahahahahhaha....

Roma deve ser uma delícia!! Pena que tem todos esses atrasos de voos, né???

Beijos!!

Luciana disse...

Sua doida, estou me divertindo com os seus posts...

E todo brasileiro fez um curso rápido de italiano com a Juliana e o Mateo! Não tem erro, só falar com a mãozinha que todo mundo se entende!!!

beijos