segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Sexta, 5 de fevereiro de 2010.

Na sexta-feira fomos para Atenas. Peguei o vôo e ia encontrar o Tiago as 15h. Infelizmente o meu vôo chegou no horário mas o dele não... só foi chegar as 19h30. Ou seja, tomei o maior chá de cadeira do universo, estava me sentindo o próprio Tom Hanks em O Terminal.

O vôo foi bem tranqüilo, apesar dos pesares. Voamos de EasyJet, uma companhia low cost – low fare, que de tão low fare que é, o serviço de bordo tem que pagar! Hahahahaha.. Apesar de não ter achado o atendimento deles muito bom em nenhum lugar (tanto em Paris, como em Atenas, quando precisei de algumas informações sobre o atraso do vôo do Tiago) o avião até que não era dos piores... me senti voando GOL, ainda mais pela cor laranja.

Enquanto esperava o Tiago, fui descobrindo um pouquinho de Atenas, de como me virar e do que conhecer. Basicamente minha primeira preocupação  era com transporte e assim encontrei um guichê de informação turística no próprio aeroporto assim que soube que teria 4h de espera até o Ti chegar. Uma senhora muito simpática me ajudou a entender que existe um passe de 15€ para 3 dias de open metrô e ônibus para o aeroporto. Sendo assim, fui até a estação de trem para comprar nossos bilhetes.

Assim que o Tiago chegou, pegamos o ônibus que demorou mais ou menos 1/2h para chegar até a estação de metrô principal chamada Syntagma. Nesta estação tivemos que fazer uma baldeação até a estação Metaxourgio, que era a estação que ficava o nosso Hostel (San Remo). Assim que chegamos ao Hostel, um indiano (acho) muito simpático nos atendeu e nos explicou onde comer, onde passear, o que visitar (eu basicamente já sabia). O Hostel era muito simples, mas muito aconchegante. Uma cama de casal (muito boa por sinal, dormimos muitíssimo bem), um banheiro dentro do quarto com o empecilho de que o banho, apesar de ducha forte e quente, era um chuveirinho, então tínhamos que tomar banho um segurando o chuveirinho pro outro... patético se não fosse tão engraçado.

Assim que chegamos ao hostel, deixamos as coisas e já saímos para tentar aproveitar um pouquinho do que tinha restado da sexta-feira. Descemos na estação Syntagma e descobrimos uma praça lindíssima com o Parlamento de fundo todo iluminado, um prédio antigo (mas nem tanto quanto as ruínas). Fomos andando e seguindo o fluxo, descobrindo e vendo a cidade (apesar da fome estar muito apertada). Descobrimos a primeira visão da Acrópole, linda, toda iluminada a noite... depois descobrimos pertinho de uma outra estação de metrô a Livraria de Hadrian´s, também iluminadíssima a noite, e pertinho de comércio e restaurantes. Foi muito gostoso continuar andando e descobrir uma rua cheinha de restaurantes onde todos eles tinham vista para a Acrópole iluminada e também para o Pathernon.

Escolhemos um para nos sentar pelo atendimento. O mocinho que nos atendeu foi muito simpático, nos deu um cardápio em inglês (pois o idioma grego é muito difícil... impossível de se entender a escrita, mas eu acho que algumas palavras são muito parecidas com o francês). O restaurante chamava Movoes – Restaurante Mediterrâneo e o garçom simpático nos indicou uma Mousaka e um Cordeiro com queijo feta e batatas, acompanhando, claro, um vinho da casa.

Posso dizer que além de estarmos sentados do lado de fora do restaurante, pertinho de um aquecedor super charmoso para nos aquecer  com vista para Acrópole e Pathernon iluminados, a comida era SENSACIONAL? Sim, a Mousaka tinha uma base de berinjela com uma camada de carne moída e queijo torradinho e derretido por cima, além do que tinha um gostinho de noz moscada muito sutil e delicioso! O cordeiro estava derretendo na boca, com batatinhas cozidas, pimentões verdes e vermelhos e quejo feta, que é um queijo grego maravilhoso... uma mistura de queijo cottage (mais sequinho) com gorgonzola... Não sei explicar, só sei que eu fiquei apaixonada!

Depois de comer um montão, pagar pouco e beber 1/2L de vinho, só nos restava ir dar uma dormidinha para acordar muito bem no sábado e conhecer toda Atenas.

Um comentário:

Gabitus disse...

Florzinha francesa,

que nomes bizarros esses gregos dão nas coisas, hein???

Metaxourgio???? Imagine isso em letras gregas!!! Hahahahahah....

Depois quero ver as mil fotos de Atenas!! Deve ser algo lindo!!

Tenho duas observações para fazer sobre seus posts:

1ª) queijo feta, no brasil, é queijo de cabra! Por aí também é?? Descobre pra mim?? Me traz uma mala com queijos?? Kkkkkk...

2ª) Seria de bom tom você parar de falar dessas comidas fantásticas, deliciosas, magníficas, que eu tô criando uma lombriga grega (vou chamá-la de Sophia!)... tá osso alimentá-la com essas comidinhas xexelentas por aqui!!! Hahahahahah....

Muitos beijos!!

Te amo!