domingo, 21 de fevereiro de 2010

Quinta-feira, 18 de fevereiro 2009

Hoje fui até a Conciergerie. Chegando lá, onde existe um bilhete casado para a Saint-Chapelle (que ainda irei), a espera estava de 1h. Então resolvi ir somente à Conciergerie mesmo e outro dia voltar. Por sorte, ao entrar, tinha uma visita guiada as 15h (que duraria mais ou menos 1h) e arrisquei acompanhar, mesmo sendo em francês. Conseguia entender somente algumas partes, pois além da guia não ter um microfone, ainda tinha mais umas 30 pessoas comigo se amontoando em volta da coitada (será que estudante de francês não tem preferência pra ficar na frente? RS).
A Conciergerie originalmente era a casa da família real até o século 14, após este período, a monarquia francesa mudou-se para o Palácio do Louvre (onde hoje é o Museu do Louvre) e o prédio foi transformado em prisão temporária onde geralmente os presos permaneciam lá por no máximo 1 semana esperando julgamento e por sua vez, para serem guilhotinados. Foi durante a Revolução que o local se tornou mais popular e teve seu tempos de terror por ter passado mais de 2 mil presos da Revolução a espera da guilhotina.
Em 1793, o Tribunal Revolucionário instalou-se no primeiro andar do prédio, na antiga grande sala do Parlamento de Paris. A partir daí, todos os prisioneiros detidos nas diferentes prisões de Paris, assim como em algumas prisões das províncias, e que deveriam comparecer perante o tribunal, foram progressivamente transferidos para a Conciergerie. Seu número não parou de aumentar, sobretudo após a votação da "Lei dos Suspeitos", em 17 de setembro.

Os detentos que tivessem comparecido perante o Tribunal que acontecia no Palácio de Justiça de Paris, adjacente à Conciergerie, e tivessem sido condenados à morte não eram trazidos de volta para suas celas. Eram imediatamente separados dos outros prisioneiros e conduzidos, os homens para o anexo traseiro ao prédio, as mulheres para pequenas células situadas no corredor central. Assim que o carrasco e seus ajudantes chegavam, todos eram reagrupados em um vestíbulo batizado como "sala de toalete" para serem despojados de seus pertences pessoais, terem seus cabelos cortados e serem amarrados. Enquadrados por policiais, os condenados - algumas vezes às dezenas - atravessavam a sala do guichê e ganhavam o Pátio de Maio, que dava para a Rua de la Barillerie. Era lá que os detentos aguardavam as carroças que os conduziria até a guilhotina.

Por ali passaram grandes nomes da história da França: Ravaillac, o assassino do Rei Henri IV foi ali torturado. Danton e Robespierre, revolucionários. Luis XVI não chegou a ficar preso no local e foi direto condenado, acusado de traição, a guilhotina no dia 21 de janeiro de 1793. Já sua esposa, Maria Antonieta permaneceu presa por quase 2 meses (única exceção) e depois também condenada.
Atribui-se, à Maria Antonieta, uma famosa frase: "Se não têm pão, que comam brioches", que teria sido proferida a uma de suas camareiras certa vez que um grupo de pobres foi ao palácio pedir pão para comer. Maria Antonieta foi condenada à morte e foi guilhotinada no dia 16 de outubro de 1793, em Paris, na praça, hoje denominada, "Place de La Concorde". Dentro da Conciergerie, um monumento erigido por Luis XVII lembra o local onde se situou a cela final de Maria Antonieta, marcada pelas cores do luto real e os símbolos da dinastia Bourbon, onde, na parede, encontram-se escritos os nomes dos três mártires reais , Luis XVI , Maria Antonieta , e Madame Isabel . Há também a transcrição de um trecho do testamento de Maria Antonieta , no qual ela lembra, aos filhos, o que disse seu esposo Luis XVI, sobre perdoar a todos pelo mal que fizeram à sua família.
Adorei o passeio e pretendo voltar em um dia bem ensolarado para conhecer a Saint-Chapelle e também o Palácio da Justiça (onde só pude ser a entrada).
PS: Eu sei que estou um pouquinho atrasada nos posts, mas c´est La vie hein! Bisouuuu

Um comentário:

Gabitus disse...

Chuchuzona,

você não está atrasada nos posts!! eu acho que nem escreveria nenhum, se estivesse aí, com tudo isso para ver!!

Falando em brioches, você comeu algum?? É delicioso???

Vi suas fotos no orkut!! Meu, que múmia!!! Quero ver uam também!! hahahahahhahaha....

Quando chegar, quero ver as fotos contigo explicando do meu ladinho, tomando uma cerveja nesse calor dos infernos do Brasil!!

Te amo, querida!!1

Bacio!!